Ipatinga   •   

Notícias

Mais um atentado contra a vida provocado pela Usiminas

13/08/2018

Na última sexta-feira, parte de um gasômetro explodiu dentro da usina de Ipatinga deixando dezenas de feridos e centenas que moram na cidade expostos a gás tóxico

Dois dias se passaram da morte do companheiro Luis Fernando, vítima das condições assassinas de trabalho, e a Usiminas provoca mais uma tragédia. Dessa vez foi a explosão de parte de um dos gasômetros que deixou dezenas de feridos dentro da usina, espalhou gás pela cidade e provocou tremor em vários bairros de Ipatinga. O pânico se espalhou dentro e fora da Usiminas por causa da violenta explosão e do vazamento de gás.

Na véspera dessa tragédia, o presidente da empresa novamente desrespeitou os trabalhadores ao dizer que “a integridade física das pessoas é valor fundamental para Usiminas”, aonde isso? A realidade mostra equipamentos de segurança sucateados e nenhuma proteção coletiva aos trabalhadores. O desrespeito é tão grande que tanto o presidente da empresa como seus chefetes tentam colocar nas costas dos trabalhadores a responsabilidade pela segurança.
Não há como prevenir acidentes ou trabalhar de forma segura se todos os procedimentos que os trabalhadores são obrigados a realizar são em condições cada vez piores de trabalho.
A morte de Luis Fernando no dia 08 de agosto e a explosão no dia 10 são parte de uma tragédia já anunciada, pois a Usiminas em sua gana por mais lucros tem colocado a vida dos trabalhadores e da população em risco.

O que importa para Usiminas é o lucro, não a vida do trabalhador
A explosão que aconteceu perto das 13:00 horas obrigou a Usiminas a evacuar várias áreas, mas logo depois do acidente, a direção da usina já obrigou os trabalhadores do turno das 15 horas a entrar para trabalhar. Ou seja, sem avaliar ainda de fato o tamanho da tragédia, os riscos que os trabalhadores e a população estão expostos, a Usiminas quer colocar a  produção pra rodar a qualquer custo.
O SINDIPA logo após a explosão foi até a usina, ao hospital exigindo informações sobre a gravidade do acidente e até agora os representantes da Usiminas estão calados, sonegando as devidas informações.
Estamos de plantão buscando informações com os companheiros de trabalho e com as famílias das vítimas, não vamos deixar impune mais esse crime contra a saúde e a vida humana.

ATÉ QUANDO VÃO ATACAR NOSSAS VIDAS?

Há pouco mais de 50 anos, a mando da Usiminas, trabalhadores foram assassinados pela repressão do Estado quando lutavam por melhores condições de trabalho. Nos últimos 20 anos, são dezenas de trabalhadores mortos, tanto na usina de Cubatão, como em Ipatinga, vítimas das péssimas condições de trabalho. 
Isso é a Usiminas, seu aço é usinado sugando a saúde e a vida dos trabalhadores.
É hora de transformar a raiva e a indignação com tanto desrespeito e violência, em movimento. Vamos juntos fortalecer a nossa luta em defesa da vida, exigindo punição para Usiminas e melhores condições de trabalho.

 

ESSA LUTA É DO CONJUNTO DA CLASSE TRABALHADORA DOS QUE TRABALHAM DENTRO E FORA DA USIMINAS

 


•  Veja outras informações
SINDIPA - Sindicato dos Metalúrgicos de Ipatinga e Região
Av. Fernando de Noronha, 90 - Bairro Areal - CEP: 35160-350 - Ipatinga / MG
Telefone (31) 3829-6635   /   E-mail: comunicacao@sindipa.org.br